L i b r a r i u m

Galerias de Fotos | Romanização  | Cultura Latina |

Termas

          As primeiras foram construídas por Agripa no tempo de Augusto, mas já desde o séc. II a. C. havia banhos públicos que os elegantes não freqüentavam, preferindo balneários privados. Mais tarde, vários imperadores construíram termas monumentais que enriqueceram com obras-primas de estatuária.
          Nelas os banhos estavam associados à cultura física e intelectual. Além de estádios, salas de ginástica e de massagens, havia bibliotecas, jardins e arcadas exteriores onde os grupos se juntavam a conversar ou a ouvir algum autor declamando em público a sua obra.
          Tudo nas termas era grandioso. O complexo sistema de canalização e de aquecimento ainda hoje nos causa admiração.
          A função cultural destes conjuntos magníficos foi importante - as termas conseguiram que os Romanos aceitassem o ideal grego dos concursos olímpicos em que se apresentava o indivíduo na sua perfeição física e espiritual.
          "O atletismo estava desta forma em ligação estreita, em comunicação direta com o banho que se seguia à sessão de luta, e se dividia normalmente em três tempos distintos.
          Primeiro, o banhista, que estava coberto de suor, ia despir-se, se o não fizera já num dos vestiários ou apodyteria do estabelecimento termal. Depois, entrava em um dos sudatoria que flanqueavam o caldarium e ativava a sua transpiração nesta atmosfera de estufa: era o banho a seco. E seguidamente penetrava no caldarium onde reinava uma temperatura também elevada e no qual ele podia, além disso, aproximando-se do labrum, aspergir a sua pele encharcada de suor com água escaldante e esfregá-la seguidamente com o estrigilo. Quando já estava limpo e seco, voltava atrás, parava no tepidarium para fazer a transição e finalmente ia mergulhar na água fria do frigidarium.

          ...estou persuadido de que as termas imperiais beneficiaram poderosamente as massas.Termas de Caracala Na sua majestade deslumbrante de mármore não foram só o esplêndido palácio da Água romana. Foram principalmente o palácio do Povo, com que hoje sonham as nossas democracias, mas onde outrora os Romanos, adquirindo ao mesmo tempo o gosto da limpeza física, dos desportos úteis e da cultura desinteressada, puderam, durante muitas gerações, atrasar a sua decadência mediante ao regresso ao velho ideal que inspirara no passado a sua grandeza e que continuava a propor-lhes, no presente, Juvenal: "Um espírito são num corpo são".
Das duas para as três da tarde, as termas estavam cheias. Era o divertimento diário. Os edifícios eram vastas construções com partes reservadas à ginástica, sudação, massagens, banho quente (caldarium), descanso (tepidarium), banho frio (frigidarium). Algumas tinham bibliotecas, jardins e pórticos.