L i b r a r i u m

Galerias de Fotos | Romanização  | Cultura Latina |

Roma Triunfante

          A volta de uma campanha terminada por uma vitória decisiva, o general com o seu exército esperava fora dos muros da cidade que o Senado decretasse o triunfo. Celebrada a festa, licenciavam-se as tropas.
          Ora de todas as conquistas romanas do período que descrevemos, nenhuma deu tanto brado como a da Macedônia, nenhuma foi tão fecunda em resultados políticos, nenhuma produziu tamanha presa. O dinheiro abundou de tal modo, que se suprimiu o imposto do censo em toda a Itália por desnecessário - tão magnífico era o tesouro de Perseu!Teatro romano - Cartago
          Das três grandes batalhas campais, Cinoscéfalas, Magnésia, Pidna, a última foi sem questão a mais grave; dos estados submetidos, a Ásia, Cartago, a Macedônia, esta, a pátria do grande Alexandre, fora a mais difícil de conquistar. As guerras bárbaras da Espanha e da Cisalpina não podiam contrapor-se em esplendor às vitórias sobre os estados civilizados. Por tudo isso, o grande dia de Roma, o apogeu da glória da república, quando as suas armas dominavam em todos os países mediterrâneos ao sul dos Alpes, é o do triunfo de Paulo Emílio, vencedor de Perseu em 586.
          Desde Zama até Pidna, nesses trinta e seis anos que são o zénite da república, e depois dos quais as ruínas fumegantes de Corinto, de Cartago, de Numãncia simbolizam tristemente a decadência rápida das instituições e dos costumes, correu sobre a Itália um rio de ouro e uma inundação de cativos. O romano perdeu a avareza constitucional e o antigo amor ao trabalho. Costumou-se viver à custa alheia, salariado pelos povos vencidos, servido por exércitos de escravos. Como se conservariam as antigas virtudes republicanas do povo lavrador? As contribuições de guerras impostas recentemente somavam quantias fabulosas para o tempo: Cartago teve de dar dez mil talentos, Antíoco quinze mil, os Etólios quinhentos; Aziarato trezentos, Filipe da Macedônia mil, Nábis de Esparta quinhentos; e depois o espólio prodigioso de Perseu veio completar uma soma proximamente correspondente a duzentos mil contos da nossa moeda, e talvez dupla, acaso tripla, como valor relativo. Vieram, depois de Pidna, o saque de Corinto, o saque de Cartago, os tesouros dos Atálidas de Pérgamo, e as minas da Espanha, que eram o Peru da Antiguidade, engrossar o caudal de ouro e prata que o mundo inteiro vazava sobre a Itália.
          E, além das contribuições extraordinárias, as nações vencidas ficavam dando subsídios anuais, e os territórios conquistados e constituídos em províncias contribuíam com impostos ordinários, percentagens como o dízimo, ou quantias fixas.

Oliveira Martins, História da República Romana